PETS

ACUPUNTURA PARA CÃES

Terapia alternativa para o seu amigo fiel que possui idade avançada pode ser recomendada em casos de dor crônica ou perda de locomoção.

Imagem: reprodução

A acupuntura para cães é uma prática da medicina tradicional chinesa e japonesa usada há milhares de anos.

Sabemos que a técnica se baseia na inserção de agulhas em pontos específicos do corpo para proporcionar alívio e anestesiar determinadas áreas em determinados momentos.

É importante esclarecer que esta é uma terapia alternativa, que não substitui o diagnóstico e o tratamento veterinário em nenhum caso, mas que pode ajudar a melhorar a qualidade de vida do animal, evitando a dor causada por diferentes patologias. Inclusive, é comum encontrar veterinários que realizem a técnica em suas próprias clínicas.

Para o médico veterinário Fernando Machado a terapia alternativa é uma aliada ao tratamento do animal, lembrando que não substitui o diagnóstico e o tratamento veterinário em nenhum caso.”A terapia alternativa veio para agregar o tratamento do animalzinho, amenizando qualquer tipo de dor crônica , além do auxílio de medicamentos.Lembrando que é comum encontrar veterinários que realizem a técnica em suas próprias clínicas”, afirma o veterinário Fernando Machado.

O que é acupuntura?

A acupuntura consiste na inserção de agulhas muito finas, com cerca de 0,02 mm de diâmetro, em pontos específicos do corpo. Esses pontos são distribuídos em uma série de linhas, chamadas meridianos, que percorrem todo o corpo do animal.

Imagem :reprodução

Existem centenas de pontos localizados nos cães, e cada um corresponde a uma localização e funções específicos.

Os pontos estão relacionados a diferentes órgãos, tecidos, ossos e articulações, e a sua estimulação ajuda a melhorar a saúde e combater a dor. O tratamento da dor costuma ser o objetivo principal da acupuntura para cães.

Os pontos de acupuntura coincidem com o caminho das fibras nervosas ou as áreas onde as terminações nervosas estão concentradas. Sua estimulação pode liberar neurotransmissores, como as endorfinas, que aliviam a dor e proporcionam uma sensação de bem-estar. A longo prazo, em animais com dor crônica, a acupuntura é uma boa opção para melhorar a qualidade de vida.

O Tratamento

É uma técnica indolor e não requer anestesia, os animais tendem a relaxar bastante durante as sessões, que geralmente duram uma ou duas horas.Além de ”modificar”a dor crônica provocada por certas doenças, e ajuda a combater problemas do sistema locomotor que aparecem com a idade.

 Trata-se de uma técnica amplamente utilizada na reabilitação para tratar problemas de locomoção. Algumas das aplicações mais comuns da acupuntura em cães são:

* Alergia

*Inferilidade

Agressividade

Hérnias de disco

Paralisia ou paresia

Problemas renais

Displasia da anca

Problemas de locomoção

Artrite, artrose e reumatismo

Dor de origem indefinida

Problemas dermatológicos

Gastroenterite crônica e aguda

Afecções da coluna vertebral

SAÚDE

SAÚDE: PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS- COVID 19

Coronavírus já matou mais de 20 mil pessoas no mundo e mais de 4 mil casos já foram confirmados.

(imagem retirada das redes sociais da fonte)

A pandemia causada pelo novo coronavírus, já matou mais de 20 mil pessoas em todo o mundo, segundo o último boletim da Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgado nesta quinta feira(26),o total de casos confirmados de covid-19 chegou a 462.684, nas últimas 24 horas, 49.219 novos casos positivos e mortes em 20.834 decorrência da pandemia de coronavírus foram registrados em todo o planeta.

Segundo o diretor e clínico-geral Gustavo dos Santos Arruda do Hospital Santa Marta em Niquelândia, essa pandemia está no mundo e chegou no Brasil , sendo descoberto em Dezembro de 2019 na China e disseminou para o mundo todo.Por ser uma doença nova, (porém o vírus deu origem na década de 30) não havia muitos casos até então, mesmo assim a precaução é essencial, como: comprimentos, beijos, apertos de mãos, espirro, saliva devem ser evitados, além de manter locais ventilados. Através dessas pequenas atitudes o número de contaminação diminui, além de se precaver.”Essa epidemia pan-epidemia de COVID19 que está no mundo todo e chegou no Brasil, é uma coisa nova apesar do vírus já ser descoberto isolado imano na década de 30. Esse tipo de coronavírus o COVID 19, foi descoberto em Dezembro do ano passado, principalmente na China e disseminou da China para o mundo, sendo transmitido por gotículas(saliva, espirro, catarro, e aperto de mãos), essas atitudes devem ser evitadas por enquanto até diminuir os índices de contaminação. É uma coisa nova, não havia muitos casos até então, tem que precaver”, afirma o médico.

O governo do estado de Goiás juntamente com o ministério da saúde estão tentando evitar que o vírus se agrave como aconteceu na Itália e na China, estabelecimentos como comércios e escolas, onde costumam aglomerar grande número de pessoas estão sendo fechados temporariamente, com isso o número de pacientes nos hospitais diminuíram, além de ser uma atitude válida e cuidadosa com a população.”O ministério da saúde percebeu que tanto na Itália eles demoraram para tomar essa atitude, foram tomadas nesses locais só que com um pouco de atraso. O governo e o ministério da saúde está tentando fazer aqui no Brasil que isso não chegue a esse ponto”, afirma o clínico geral.

O médico também afirma que os casos que ocorreram na Itália foram demorados a serem diagnosticados, havendo atraso para tomarem as devidas providências. No Brasil o ministério da saúde juntamente com o governo estão tentando fazer com que nosso país, não chegue a esse ponto.”O ministério da saúde percebeu que tanto na Itália eles demoraram para tomar essa atitude, foram tomadas nesses locais só que com um pouco de atraso. O governo e o ministério da saúde está tentando fazer aqui no Brasil que isso não chegue a esse ponto”, afirma Gustavo dos Santos.

EDUCAÇÃO

”I Seminário de Formação e Inserção Profissional dos Adolescentes em Conflito com a Lei e/ou em Situação de Vulnerabilidade”

Imagem: reprodução


A secretária Lúcia Vânia prestigiou nesta terça-feira (10) o “I Seminário de Formação e Inserção Profissional dos Adolescentes em Conflito com a Lei e/ou em Situação de Vulnerabilidade”, realizado pelo judiciário no teatro do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG) de Anápolis.

Na ocasião, foi assinado um protocolo de cooperação interinstitucional para formação da rede pela qualificação de adolescentes em processo de ressocialização nas unidades do sistema socioeducativo de Goiás e em situação de vulnerabilidade social. Compõem a rede representantes do judiciário, da prefeitura de Anápolis, da Fieg, Acia, CDL, entidades do Sistema S, Itego, IFG, empresas privadas e do Governo de Goiás, via Seds, Secretaria de Educação e Polícia Militar, entre outras organizações.

Na abertura, a secretária Lúcia Vânia falou da importância da iniciativa, liderada pelo juiz da Infância e Juventude de Anápolis, Carlos Limongi Sterse, também diretor do foro da cidade. “Procuramos fazer na secretaria o que Dr. Limongi vem fazendo aqui, que é engajar a sociedade no processo de educação e ressocialização dos nossos jovens em conflito com a lei. Vamos mostrar ao Brasil que é possível recuperar esses adolescentes, devolvendo-os à sociedade com educação escolar e formação para o trabalho”, disse Lúcia Vânia falando da nova política que vem sendo adotada no socioeducativo pelo Governo de Goiás.

A programação contemplou ainda palestras de Andressa Moura e Joice Maciel sobre o tema “Promovendo Oportunidades e Gerando Resultados Transformadores”, com mediação de Eveline Mina
ECONOMIA

TRABALHO TEMPORÁRIO

Novos modelos de contratação que estão chegando ao Brasil e as leis trabalhistas estão mais favoráveis.

Imagem :reprodução

O trabalho temporário veio para ficar – e quem está atestando é o próprio mercado que abraçou de vez a modalidade. O maior volume está no setor industrial, cuja demanda de trabalho no final do ano passado justificou a contratação de temporários, porém, o ponto mais interessante desta história é que essas empresas não estão contratando trabalhadores como efetivos sem antes passar por este “período de prova”. Estas demandas específicas mobilizam um grande volume de trabalhadores para um projeto, mas como as empresas não sabem quando haverá outro projeto na sequência, estão evitando contratar de maneira definitiva.

Essa mudança de pensamento vem desde o final do ano passado. Havia uma expectativa com a mudança de Governo em 2019, quando estávamos em um momento de transição, porém, as mudanças vieram pra valer a partir de novembro passado:

“Foi neste momento que começou o aquecimento do mercado pelas vagas de trabalho temporário. Pelo que vivenciamos em janeiro e fevereiro de 2020, este ano será da recuperação do mercado e as pessoas precisam aproveitar as oportunidades” explica Karina Pelanda, coordenadora de recrutamento e seleção da RH NOSSA.

Dois tipos de trabalho temporários

O trabalho temporário possui duas possibilidades bem claras:

– Trabalho temporário Sazonal: acontece em períodos do ano com aumento de produção, como Páscoa, Natal e Dia das Mães, por exemplo;

– Trabalho Temporário por Projetos: quando a indústria precisa de uma demanda maior de mão de obra para algum projeto como, por exemplo, a criação e lançamento de uma nova linha de computadores.
Para a coordenadora de recrutamento e seleção da RH NOSSA, Eliane Catalano, quem estiver disposto a trabalhar como temporário, essas duas vertentes são excelentes portas abertas. Catalano lembra que as empresas realmente estavam um pouco mais apreensivas inicialmente pela mudança de Governo, mas agora entendem que o temporário permite experimentar esse novo modelo de trabalho:

“O Governo está mais aberto para ajudar com novos modelos de contratação que estão chegando ao Brasil e as leis trabalhistas estão mais favoráveis. Essa mudança facilitou a abertura para contratação desses profissionais”

Eliane reforça que tanto as demandas que são historicamente pontuais, quando os projetos extraordinários servem para que as empresas conheçam estas pessoas, com possibilidade de efetivação:

“Ao invés de contratar diretamente esses colaboradores, as empresas chamam como temporário para um projeto para não errar na contratação. Isso é percebido também na área logística e para vagas vagas operacionais, técnicas e administrativas” complementa Catalano.